Síria é acusada pela Turquia de abater avião em águas internacionais

.

Turquia afirmou no domingo que a Síria abateu uma aeronave militar em espaço aéreo internacional na sexta-feira sem aviso prévio. O governo turco informou que vai abrir uma consulta formal aos integrantes da Otan sobre uma reação.

O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Ahmet Davutoglu, em entrevista 48 horas após o avião ter sido abatido próximo da fronteira marítima entre os dois países, afirmou à rede de TV estatal TRT que o avião tinha clara identificação turca.

Segundo o ministro, a aeronave não carregava armamento e estava apenas realizando uma missão para testar os sistemas de radares domésticos. Disse ainda que o voo não tinha qualquer relação com a crise no país vizinho.

– Nosso avião foi abatido a uma distância de 13 milhas marítimas da fronteira da Síria em espaço aéreo internacional – afirmou Davutoglu.

– De acordo com as imagens do radar, nosso avião perdeu contato com o controle aéreo logo após ser atingido. E como o piloto perdeu controle, a queda ocorreu em águas sírias após movimentos anormais – acrescentou o ministro. “Em todo esse período não houve alertas.”

O fato elevou ainda mais a crise envolvendo a Síria. Forças leais ao presidente Bashar al-Assad e rebeldes estão em confronto há cerca de 16 meses com uma forte escalada da violência.

Turquia abriga a força rebelde Exército pela Libertação da Síria (FSA, na sigla em inglês). Além disso, tem acomodado refugiados na parte sudoeste da fronteira com a Síria, cerca de 50 quilômetros de distância de onde o avião turco foi abatido. O governo turco, no entanto, nega que tenha fornecido armamentos para os insurgentes.

Davutoglu disse que iria formalmente levar o caso à Otan, assim como ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). As normas da Otan preveem que os estados membros façam consultas entre si sobre a integridade territorial, independência política ou quando a segurança das partes foi ameaçada.

Uma representante da Otan afirmou que os integrantes da aliança militar vão se encontrar na terça-feira para debater o pedido da Turquia.

A Síria afirmou que o avião estava voando muito rápido e muito baixo apenas um quilômetro da costa síria quando foi abatido. Primeiro foi classificada como uma aeronve não identificada e, apenas depois, que era de origem turca.

Davutoglu rejeitou a explicação dizendo que a identificação do avião era clara. Segundo o ministro, a aeronave chegou a ultrapassar a fronteira com a Síria 15 minutos antes de ser abatida. De acordo com Davutoglu, é comum esse tipo de voo cruzar o espaço aéreo dos dois países.

.