Salvador e região têm 29 homicídios em 30 horas, registra SSP-BA*

.

Só na sexta-feira foram 28 assassinatos, segundo boletim da Secretaria. 
Parte da Polícia Militar da Bahia está em greve desde terça-feira.

 

Entre a 0h de sexta-feira (3) e as 6h deste sábado (4) 29 pessoas foram vítimas de homicídios em Salvador e região metropolitana. De acordo com o balanço registrado no site da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), só na sexta-feira (6) foram registrados 28 homicídios, além de dez tentativas de homicídios. Neste sábado (7), mais um assassinato foi registrado no início da madrugada. Parte da Polícia Militar da Bahia está em greve desde terça-feira (3). Tropas do Exército foram deslocadas do Recife para Salvador para ajudar na segurança pública da capital baiana.

O caso mais recente aconteceu às 0h23 na Praça São Braz, no bairro de Plataforma, onde foi encontrado o corpo de um homem com identidade não identificada.

Na noite da sexta-feira, a SSP-BA registrou as mortes de dois homens em Cosme de Farias, outros dois homens em Canabravas, uma mulher que estava na Praça da Liberdade, e de mais um jovem em Itinga.

Na quinta-feira (2), segundo dia após anúncio da greve, o órgão somou 14 homicídios. Já no dia 1°, primeiro dia do movimento, foram confirmadas oficialmente sete mortes decorrentes de crimes.

Já na Avenida Jorge Amado, em Pituaçu, quatro corpos foram encontrados no início da manhã. De acordo com as informações da polícia, por conta da proximidade em que os corpos foram encontrados, a primeira hipótese levantada pelos investigadores é a de que possa ter acontecido uma chacina no bairro.

Já no bairro do Sete de Abril, uma mulher de 39 anos e um adolescente de 17 foram mortos na frente de casa. As primeiras informações da polícia dão conta de que se tratavam de mãe e filho, mortos por volta das 6h.

A greve de parte dos PMs foi decretada na noite de terça-feira (31). A Secretaria de Segurança Pública estima que 1/3 do efetivo total, de 31 mil, esteja parado. Os policiais grevistas são vinculados à Associação de Policiais e Bombeiros do Estado da Bahia (Aspra), que organiza a mobilização, e desobedecem ordem judicial que determina retomada às atividades.

largo vazio dinha rio vermelho (Foto: Imagens/TV Bahia)Largo do Rio Vermelho, que costuma receber turistas, ficou vazio na noite de sexta (Foto: Imagens/TV Bahia)

Ministro deve ir a Salvador
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, deve viajar para Salvador neste sábado (4) para participar das definições estratégicas para combater a violência e insegurança decorrentes da greve parcial dos policiais militares no estado, segundo a assessoria do governo da Bahia.

A previsão é que o ministro desembarque na Base Aérea da capital, às 10h, em companhia do chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, general José Carlos De Nardi, e da secretária Nacional da Segurança Pública (Senasp), Regina Miki. A comitiva nacional será recebida pelo governador Jaques Wagner, pelo comandante da 6ª Região Militar, general G. Dias, além do secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa.

A Secretaria de Segurança Pública estima que 1/3 do efetivo total, de 31 mil, esteja parado. Os policiais grevistas são vinculados à Associação de Policiais e Bombeiros do Estado da Bahia (Aspra), que organiza a mobilização, e desobedecem ordem judicial que determina retomada às atividades.

Pronunciamento do governador
O governador da Bahia, Jaques Wagner, tentou tranquilizar a população do estado em cerca de três minutos de pronunciamento oficial, transmitido pelas emissoras de rádio e TV por volta das 20h15 desta sexta-feira (3). “A democracia é o império da lei. Não podemos conviver com esse movimento já considerado ilegal pela Justiça baiana, além dos 12 mandados de prisão que já foram emitidos”, diz. “Não aceito que um pequeno grupo, de forma irresponsável, cometa atos de desordem para assustar a nossa população”, relata.

Ele reafirmou a “intranquilidade” vivida nos últimos quatro dias, que tem resultado no fechamento antecipado do comércio, violência na rotina do trânsito e contra a população. “Estamos tomando providências para conter ações de um grupo de polícia usando métodos condenáveis e difundindo o medo na população, causando desordem”, afirma.

Salvador recebe 1,5 mil soldados ainda nesta sexta, diz Exército (Foto: Carla Ornelas/Secom)Soldados chegaram de Recife na capital no fim da
tarde (Foto: Carla Ornelas/Secom)

Reforço militar
Mais 144 soldados do Exército, deslocados de Recife (PE), desembarcaram no fim da tarde desta sexta-feira (3) no Aeroporto Internacional de Salvador para reforçar a segurança da capital baiana em meio à greve de parte dos policiais militares. Do aeroporto, eles seguem para realizar patrulhamento nas regiões da Paralela e Iguatemi, abarcando a Avenida ACM. Ao total, são 144 soldados do 4° Batalhão do Exército de Recife, diz o governo do estado.

A atuação do reforço ao policiamento na capital foi definida durante reunião ocorrida nesta tarde entre comandantes e chefes de segurança pública, com representantes da Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, além da Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA), informou o tenente-comandante Cunha, oficial de comunicação da Região Militar.

“A reunião foi feita no sentido de integrarmos as ações das diversas forças em áreas de Salvador. O objetivo é garantir a seguraça e integridade das pessoas e do patrimônio, além do direito de ir e vir do cidadão”, afirma o tenente.

Atualmente, 800 militares do Exército brasileiro, além de 150 oficiais da Força de Segurança Nacional, estão na capital baiana. A previsão é de que mais 1.500 soldados do Exército cheguem em Salvador ainda nesta noite.

“Tem uma tropa da Brigada Paraquedista do Rio de Janeiro, com experiência no combate no Haiti e Complexo do Alemão [favela fluminense]. Eles vão atuar na orla, no trecho compreendido entre a Barra e a Pituba”, diz o tenente Cunha.

Militares de Aracaju, Recife, Garanhuns, João Pessoa e Maceió também estão a caminho de Salvador. “Os oficiais de Aracaju vão atuar na região do Comércio e Sete Portas, a equipe do 2° Distrito Naval ficará responsável pela área de portos; e a Força de Segurança Nacional próxima ao aeroporto”, relata.