Palestina pede para ser reconhecida como Estado na Unesco*

.

A Organização para a Libertação da Palestina (OLP) apresentará nesta quarta-feira à Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) um pedido para que a Palestina seja admitida como Estado de pleno direito.

“Apresentaremos hoje [quarta-feira] a proposta, e temos garantias de que seremos admitidos”, disse Mohammed Odeh, membro da Comissão de Exteriores do movimento Fatah, que compõe a OLP.

O pedido será entregue à Secretaria-Geral da Unesco, cujo Conselho Executivo, formado por 58 países dos 193 Estados-membros, realiza uma reunião em Paris.

De Ramala, Odeh explicou por telefone que o mecanismo de admissão estabelece uma maioria de 50% mais um dos votos, e que a “Palestina não terá problemas em ser admitida”.

“Já quase temos a resposta positiva”, destacou sobre a possível admissão da Palestina na Unesco, organização na qual é considerada como “observador”.

 

RECONHECIMENTO NA ONU

A solicitação faz parte dos esforços para obter da comunidade internacional o reconhecimento da Palestina como um Estado de pleno direito na ONU.

No dia 23 de setembro, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, entregou o pedido ao Conselho de Segurança da ONU, enfrentando a oposição dos Estados Unidos, Israel e alguns Estados europeus.

Em um texto publicado após o pedido palestino de adesão à ONU, o Quarteto para o Oriente Médio –EUA, Rússia, ONU e União Europeia– propôs a retomada das negociações de paz com o objetivo de alcançar um acordo no mais tardar no fim de 2012. O processo de diálogo promovido por Washington está paralisado há mais de um ano.

A declaração pede que as duas partes se “abstenham de realizar atos provocadores” e reitera as obrigações dos dois resultantes do Mapa do Caminho de 2003, que exigia o fim da violência, do terrorismo e da colonização israelense.

*Folha.com

.