Violência na República Centro-Africana força deslocamento de mais de 200 mil pessoas, alerta ONU

.

Agências humanitárias das Nações Unidas expressaram nesta terça-feira (13) profunda preocupação com a situação na República Centro-Africana (RCA), onde centenas de milhares de pessoas continuam a ser afetadas por ações ilegais, insegurança e pelo medo generalizado.

O porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), Adrien Edwards, informou que a agência continua registrando “deslocamento forçado” dentro do país. “Dentro da própria RCA agora existe um número estimado de 206 mil pessoas deslocadas”, disse Edwards em Genebra, Suíça. “Desde meados de julho, vimos um adicional de 4.125 refugiados chegarem na área de Moissala, no sul do Chade.”

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que, a menos que o acesso aos serviços de saúde melhore no país, mulheres e crianças estarão em risco de contrair doenças contagiosas e podem ressurgir casos de desnutrição entre crianças com até 5 anos de idade. A agência avalia que 70% da população não têm acesso a serviços de saúde.

Equipes de emergência do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) têm trabalhado durante as últimas semanas para reiniciar os serviços de saúde em Kaga Bandoro e Bambari – dois dos bairros onde unidades de saúde foram saqueadas e postos de vacinação, destruídos.

De acordo com o Escritório das Nações Unidas de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), o financiamento continua sendo um problema para as agências humanitárias da ONU e seus parceiros. Apenas 32% do apelo humanitário – totalizado em 195 milhões de dólares – está financiado. Dos 62 milhões de dólares recebidos até agora, 23% foram reaproveitados do ano passado.

O Conselho de Segurança da ONU deve discutir a situação da RCA nesta quarta-feira (14).

http://www.onu.org.br/violencia-na-republica-centro-africana-forca-deslocamento-de-mais-de-200-mil-pessoas-alerta-onu/

.